A Fitoagro realiza análises de Nemantóides em solo e raízes, identificando o gênero e número de indivíduos presentes na amostra.

Heterodera glycines (cisto):

Pratylenchus brachiurus (lesões)

Meloidogyne sp. (galha)

Amostragem:

A identificação e quantificação de fitonematóides depende primariamente da qualidade das amostras de solos e raízes que chegam ao laboratório. Então, o processo de amostragem e acondicionamento das amostras merecem atenção especial, sendo que após coletadas as amostras devem ser encaminhadas o mais breve possível ao Laboratório de Análise de Nematóides da Fitoagro.

O que Coletar?

Sempre que possível devem ser coletadas amostras de solo e raíz.

A amostra de solo deve ser proveniente da região próxima as raízes. Deve-se coletar amostras de solo com umidade natural, evitando solo encharcado ou muito seco. Não é recomendado molhar o solo antes da coleta ou molhar a amostra depois da coleta.

Para amostras de raízes recomendamos coletar amostras de raízes finas e vivas, pois os nematóides tem preferencia por parasitar raízes mais finas.

Qual o tamanho da amostra?

Amostra de solo: 1 kg

Amostra de raízes: 50 gramas

Quando coletar?

A época de florescimento da cultura de interesse é a ideal para realizar análise de nematóides. Análises feitas na entressafra geralmente não representam o nível populacional causador de perdas econômicas na área.

Como coletar amostras?

O mais importante nesse processo é que a amostra coletada represente a área em questão.

A coleta de solo deve ser feita com auxílio de uma pá de corte abrindo o solo em forma de V e retirando a lâmina lateral de solo até a profundidade de 30 cm.

Durante a amostragem, deve-se caminhar em zigue-zague no local, coletar amostras junto às plantas com sintomas moderados, evitando a coleta de amostra de reboleiras muito infestadas.

A amostra deve ser composta por subamostras coletadas em áreas adjacente e com mesmo histórico. As subamostras devem ser colocadas em um recipiente grande e misturadas de modo a constituir uma amostra composta que represente toda a área amostrada. Recomendamos coletar 10 subamostras por hectare, que formarão a amostra final composta.

Identificação e acondicionamento das amostras

Após coletadas e homogeneizada a amostra deve ser colocada em saco plástico para que não perca água. Deve permanecer em local abrigado do sol e ventilado.

Cada amostra deve ser identificada individualmente  constando o maior número possível de informações como:

Identificação:
Nome e telefone do proprietário;
Localização da fazenda;
Talhão;
Data da coleta;
Cultura atual e anterior;

Após coletada a amostra deve ser enviada ao laboratório o mais breve possível.